Notícias

Novas tecnologias na Área de Armazenagem, do “ficheiro” a etiquetas RFID

Autor Ciel Antunes de Oliveira Filho. Administrador de Empresas e Professor na Área de Logística.

Recordo perfeitamente quando comecei a trabalhar na Área de Logística, nos idos anos 80, como controlador de estoque em uma grande Empresa Têxtil da nossa região. Naquele período a Empresa havia abandonado recentemente o uso de fichas para controlar os estoques e implantado em sistema informatizado para este trabalho. Muitos duvidaram da novidade e por algum tempo mantiveram as fichas com o registro das entradas e saídas dos materiais para ter certeza de que o sistema funcionava.

De lá para cá muita coisa mudou, por exemplo, as descrições dos produtos foram substituídas por códigos numéricos que geraram os códigos de barras, um enorme avanço na época. Depois vieram os leitores óticos onde os olhos dos operadores foram substituídos por leitores potentes isentos de erros. A evolução nesta área não parou mais.

Atualmente com o incrível crescimento do varejo, lojas físicas ou virtuais, as cadeias de suprimentos precisaram investir muito em novas tecnologias para permitir segurança e velocidade no atendimento de pedidos.  A pressão dos clientes por melhores serviços fez com que a Logística Empresarial desse um salto enorme em qualidade com tecnologia de ponta.

Surgiram os EPCs (Códigos Eletrônicos de Produtos) como por exemplo o uso cada vez mais da tecnologia de identificação por rádio frequência, as etiquetas RFID, ou seja, etiquetas com dispositivos de chip de silício com uma antena de rádio que permite a comunicação a distância entre o sistema operacional e os estoques, e assim melhorar o gerenciamento das informações da quantidade em estoque bem a localização do item no armazém. As informações constantes neste chip podem identificar uma caixa, produto, pallet, local de armazenagem e desta forma permitir o gerenciamento rápido e seguro do estoque.

Cada vez mais Empresas aderem a este dispositivo que veio para ficar com grandes perspectivas futuras em integração na Industria 4.0, na internet das coisas e na inteligência artificial. Para mais informações indico a GS1 Brasil que oferece atendimento para implantação deste sistema. https://www.gs1br.org/sobre-a-gs1/Paginas/default.aspx

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *